Fórmula mágica para fixar o esmalte nas unhas!

Há um tempo atrás fiz um post com várias dicas para o esmalte durar mais nas unhas e nessa semana passada descobri um segredinho ÓTIMO !!!Fui em uma manicure nova e estava comentando o tanto que a mulherada sofre com os esmaltes que em sua maioria não tem uma boa fixação e ela me contou um segredinho que já fidelizou muita mulherada como cliente dela, para uma fixação prolongada ela coloca 5 gotas da cola Superbonder dentro do vidrinho da base e após fazer a unha ela finaliza com ele por cima do esmalte. Segredo pra lá de fácil e ainda ótimo, pois a minha unha está perfeita e sem sinal de que o esmalte vai lascar.

5 gotas de Superbond na base e fixação garantida do esmalte. Ebaaa...

5 gotas de Superbonder na base e fixação garantida do esmalte. Ebaaa…

O fim do ano chegou e tem muita gente que vai para lugar de praia ou piscina e essa dica veio a calhar para ficarmos com as unhas lindas nessas férias!!!

Minha dieta com a nutricionista!

Fazem 3 semanas que passei pela primeira consulta com a minha nutricionista, foram checadas as minhas medidas e foi pedido exames de sangue, desde hemograma comum, como também de vitaminas. Feito os exames tive uma nova avaliação e foi constatado que estava com carência de vitamina D, pois ultimamente não tenho tomado muito sol, essa vida corrida não anda sobrando muito tempo para deixar o bronze em dia, rs… e de resto estava tudo ok. Fui com objetivo de secar, perder gordura e ganhar massa magra, com as viagens que andei fazendo enfiei o pé na jaca e aí já viu, né?! O metabolismo de balzaquiana não é daquelas coisas!

A dra. Nicolle Seronni me passou uma dieta que me surpreendeu, pois iria comer mais do que estava habituada, além de introduzir o arroz e feijão na minha dieta, coisa que não comia há tempos ( pensava que se comesse viraria uma baleia, rs), também passei a ter 7 refeições por dia. Questionei a nutri, se era possível emagrecer dessa forma e ela me respondeu que nosso organismo é muito primitivo, ou seja, eu estava fazendo muitas restrições durante a semana e fim de semana estava comendo tudo, assim o organismo ficava com o metabolismo mais lento, pois ele no fim de semana estocava toda a comida em forma de gordura devido saber que passaria uma “estiagem” durante a semana, ficando mais difícil de eliminar o peso que eu gostaria. A alimentação fracionada por várias vezes ao dia, faz com que o metabolismo se torne acelerado, devido saber que não necessita estocar gordura pois está sendo reabastecido de tempos em tempos.

Sobre a dieta:

Vou passar o cardápio básico, pois tem outras opções para evitar que eu enjoe da dieta, lembrando que a nutricionista fez para mim, cada pessoa deve ser avaliada de forma individualizada visando suprir as suas necessidades!

Café da manhã:

2 colheres de sopa de farinha de tapioca com 1 colher de sopa de chia, mais um ovo feito no óleo de coco.

Lanche de manhã:

1 fruta ou uma barrinha de cereal, ela me indicou da marca Bio ou Harts, estou comendo da marca Harts, uma delicia, não contém açúcar e é orgânica!

Almoço:

Mínimo de 3 folhas verdes com mais 3 cores variadas de salada, 1 colher de sobremesa de azeite, 3 colheres de sopa de verduras refogadas, 1 colher de servir (daquelas maiores!) de arroz integral, uma colher de sopa de feijão e 1 bife de carne magra (frango, peixe, patinho e alcatra).

Lanche de tarde:

1 fruta e uma porção de castanhas (1 castanha do pará, 1 noz e 3 amêndoas).

Lanche pré-treino ( estou treinando todo dia, se não for treinar pulo essa refeição):

1 fatia de pão integral com pasta de tofu (tofu amassado com fio de azeite, sal e ervas) ou pasta de amendoin.

Jantar (coisa que nunca fiz):

Salada crua com 3 cores, 1 colher de sobremesa de azeite, 1 colher de servir de arroz integral ou 3 rodelas de batata doce e 1 porção de carne magra.

Ceia:

1 fruta.

Vocês viram que dieta fácil?! Mas não vou mentir que o fim de semana é o mais difícil, pois tenho uma família super festeira e que adora uma comida e uma bebidinha. Mas a nutri me liberou 2 taças de vinhos por fim de semana, rs… Bom, após 2 semanas de dieta, fui fazer nova avaliação e fiquei bem feliz com o resultado, emagreci 1,5kg saudavelmente e 2 cm de cintura. Uhulllll…… Mas ainda falta mais um pouquinho para chegar no meu objetivo final, com as festas de fim de ano não vai ser nada fácil, mas vou tentar! 🙂

Eu feliz da vida com o resultado e com o brownie light que a nutri me deu!!!

Eu feliz da vida com o resultado e com o brownie light que ganhei da nutri!!!

Santa Chia, no combate às gordurinhas!

Essa é a sementinha que promete ajudar no controle do peso!

Essa é a sementinha que promete ajudar no controle do peso!

Faz uma semana que peguei a minha dieta com a minha nutricionista com o objetivo de secar um pouquinho (perder gordura). Na dieta tenho que comer todo dia no café da manhã uma colher de sopa de chia, misturada ou na massa da tapioca ou na fruta. Como sou muito curiosa já perguntei para nutri o por que da chia logo pela manhã?

São os vários benefícios dessa semente proteica com origem Andina: é antioxidante, retardando o envelhecimento, controla glicemia, regulando a produção de insulina (ótimo para pessoas diabéticas), combate processos inflamatórios no organismo, protege o coração e regula os níveis de colesterol.

Essa é a chia que estou consumindo, existe lugares que vendem a granel também!

Essa é a chia que estou consumindo, existe lugares que vendem a granel também!

Mas como ele ajuda no controle do peso?

  • Produz sensação de saciedade por mais tempo, devido as suas sementes ao entrarem em contato com o estômago formarem um gel, com isso a digestão se torna mais lenta.
  • Por ser rica em ômega 3, combate processos inflamatórios, como o da gordura que é resultado de uma inflamação que não deixa o cérebro processar a saciedade. Assim quando consumimos essa semente o cérebro consegue controlar o apetite.
  • Como é fibrosa, ela consegue desintoxicar o nosso organismo por regular a função intestinal, eliminando toxinas.

Estou comendo todo dia pela manhã, mas pode ser introduzida mais uma colher de sopa ao longo do dia para controlar o apetite. Uma coisa é certa, meu intestino está funcionando muito bem e já estou me sentindo mais desinchada, sabe?! O que não está nada fácil é controlar as jacadas de final de semana, pois tenho uma família muito festeira que pra fazer reunião tem que ter muita comida e um bom vinho, está difícil mas estou firme!

Mulher Balzaquiana.

Elas são mais maduras, sensuais, menos tímidas, mais realistas e, principalmente, vividas. As balzaquianas, como ficaram conhecidas as mulheres de 30 anos, já suportaram muitos preconceitos pelo estigma que essa palavra trazia. Com tom pejorativo, muitas vezes eram rotuladas como “balzaquianas encalhadas”, já que, antigamente, para se viver um romance era preciso ter no máximo uns 20 e poucos anos. O escritor francês Honoré Balzac, que viveu no início do século XIX, foi o primeiro a falar da incompatibilidade de casais e trazer à tona a discussão sobre a idade feminina. Foi ele quem considerou as de 30, mulheres no ápice da sua vida sexual, que conhecem como ninguém a arte de seduzir e encantar, e têm muitas histórias para contar.

Quando se está na faixa dos 20, há um certo temor em chegar aos 30. Muitas idéias na cabeça, sonhos, desejos e o medo de não alcançá-los. Mas até lá falta muito, é o que se pensa. A estrada parece ser longa. Então, o negócio é aproveitar. Nenhuma preocupação com o corpo, muito menos com a mente. E como o tempo não pára, os 30 chegam. “Antes eu fantasiava demais, vivia no mundo dos sonhos e ilusões. E é impressionante a mudança que aconteceu quando entrei nos ‘inta'”, declara a produtora de moda Flávia Dantas, de 31 anos, que passou a perceber com mais nitidez o mundo à sua volta. “Luzes acenderam na minha cabeça, idéias clarearam, fiquei mais intuitiva e, o que é melhor, passei a ter orgasmos múltiplos. Agora me conheço, estou mais solta, faço o que gosto com menos pudor, mesmo nas vezes em que encano com minhas celulites e a bunda caída. Isso é que dá sair com garotinhos de 20”, diverte-se.

Mas nem tudo são flores. Flávia se encontra numa tardia crise dos 30, como define. Está vivendo sobre pressão, pois não tem lugar para morar, está abrindo uma empresa sem dinheiro e não tem namorado. “Há uma cobrança muito grande da sociedade para você dar certo profissional e socialmente e isso significa bom emprego e casamento. Então, me sinto devendo. Recomecei minha carreira agora, numa idade que sempre me imaginei bem resolvida”, lamenta ela, que pelo menos se sente mais capaz em fazer acontecer. Flávia confessa que não tem mais o gás de anos atrás, mas a maturidade e os pés no chão lhe dão mais segurança de seguir o caminho que realmente quer, preocupando-se, é claro, com sua saúde. “Penso duas vezes antes de cair na noite. Amanhã não quero acordar com ruguinhas e olheiras”, brinca.

O tempo passa, mas parece que os valores continuam os mesmos. Não faz muito tempo que o casamento deixou de ser visto como prioridade pelas mulheres, ou pelo menos por algumas delas. No entanto, no livro ‘A Mulher de Trinta anos’, de Balzac, a psicologia feminina é retratada com muita coerência e atualidade. Sua personagem principal, Júlia d`Àiglemont, é o primeiro retrato da mulher mal casada, consciente da razão de seus sofrimentos e revoltada contra a instituição imperfeita do matrimônio. A única coisa que a psicóloga Laura Rosa imaginava era estar casada aos 30. Nem passava na sua cabeça a profissional, a mãe ou a solteira. Tinha o sonho e correu atrás. “Casei aos 27 anos e por pressão minha. Tinha medo de ‘chegar lá’ sem marido. Na virada das décadas eu ainda estava casada, mas já começava a ser infeliz. Com 31 não agüentava mais a monotonia e o tédio do meu casamento e me separei”, lembra ela, que revolucionou a vida depois do divórcio. Fez uma pós-graduação, emagreceu, conheceu pessoas e passou a ter prazer na própria companhia. “Me acho tão interessante, madura, agradável e inteligente que estou bem só. Mas essa clareza me veio aos trinta”, afirma essa balzaquiana feliz, que pelo seu julgamento, não tem mais a beleza óbvia dos seus 20 e poucos, mas tem o que falar e muito a fazer.

Como na adolescência, a mulher desabrocha depois dos 30 anos. Adquire um ar mais sensual e os hormônios, mais harmonizados, borbulham diferente. A pele tem outra textura, o cheiro fica mais forte e elas, mais sensíveis. “Me sinto mais mulher. Já casei, separei e minha filha já tem 10 anos. Já pude sentir no meu corpo muitas sensações femininas intensas. Tenho uma história que não se compara a nada, mas o melhor seria ter o mesmo corpinho e carinha dos meus 20 anos e a cabeça dos 38”, deseja a empresária Silvia Freitas, que confessa ter medo de envelhecer apesar de estar trabalhando bem essa questão. “É difícil notar e aceitar algumas mudanças, do tipo abaixar e perceber que meu rosto dá uma despencada, mesmo que sutil. Mas como isso não é tudo, vou buscar desenvolver meu lado espiritual e concretizar meus projetos de vida”, ensina ela, que ainda se considera uma perdida profissionalmente apesar de saber do que gosta. Silvia explica que só começou a viver mesmo aos 29, quando se separou e ficou encantada. Segundo ela, nessa fase, engolia a vida e os homens, é claro.

Para o psicólogo Paulo Próspero, as balzaquianas realmente vivem um florescimento de valores intelectuais e espirituais. “É uma conjunção imbatível: elas aliam belos dotes físicos, a maturidade pessoal e encontro espiritual”, define. Mas, para ele, há uma mudança no padrão das ‘balzacas’. Diferente do início do século XIX, quando Balzac escreveu seu livro e trouxe uma nova realidade para a sociedade, hoje ele vê esse período mais alongado, com mulheres de 40 e 50 anos vivendo na sua plenitude. “Elas se cuidam mais e têm a possibilidade de fazerem uma manutenção física melhor. Fora a experiência de vida, pois o tempo é uma grande escola para quem quer aprender. E além de bonitas, elas têm bagagem”, avalia.

Parece que a vida começa aos trinta. Ou pelo menos um novo sentido de vida, onde as dúvidas vão se modificando, os medos são substituídos e os valores aperfeiçoados. Aos 36 anos, a jornalista Cristina Fernades não tem mais ‘aquela’ ansiedade. Sabe esperar, entender e procurar. “Sei a hora de caminhar e voltar e faço as coisas acontecerem. Não tenho mais aquele corpinho de uma gatinha. Mas sei como ter e dar prazer. Aprendi a cobrir e despir com classe e segurança. Dane-se os peitos caídos ou as celulites que cismam em se instalar nas minhas coxas”, revela. Cristina tem o rosto ainda sem marcas, fruto dos cremes milagrosos e de sua disciplina árdua. Mas os olhos são expressivos e com bolsas que carregam a bagagem do que viveu e, segundo ela, das mágoas que chorou.

E como já dizia Balzac em seu livro: “Uma mulher de trinta anos tem atrativos irresistíveis para um rapaz… obedece a um sentimento consciente. Escolhe… dando-se. A mulher experiente parece dar mais do que ela mesma, ao passo que a jovem, ignorante e crédula, nada sabendo, nada pode comparar nem apreciar… Uma mulher… se esconde sob mil véus… Afaga todas as vaidades… Chegando a essa idade, a mulher sabe consolar em mil ocasiões em que a jovem só sabe gemer. Enfim, além de todas as vantagens de sua posição, a mulher de trinta anos pode se fazer jovem, desempenhar todos os papéis, ser pudica e até embelezar-se com a desgraça “, finaliza.

Texto do site: Bolsa de Mulher.

Dilema de uma mulher Balzaquiana!

Quem segue o blog desde o início sabe que eu vivo tentando lutar contra as minhas sardinhas, herança de um passado de muito sol sem protetor. Se passo protetor solar fator 100 com chapéu (pode ser até um sombreiro daqueles mexicanos, rs), que as bonitas aparecem nas maçãs do meu rosto trazendo a família e as amigas, rs…  Que ódio… Daí gasto muito dinheiro com cremes clareadores, laser e muito protetor no dia-a-dia.

vitamina d

Depois de muito tempo, consigo tira-las do meu rosto, mas não posso descuidar um minuto no sol que elas aparecem, ou seja, já faz muito tempo que evito a exposição solar, estou com a cor de consultório ( sou dentista e é assim que a gente fala quando fica com aquela cor amarelada de não tomar sol, rs).

Bom, mas qual é o impasse?

Fiz exame de sangue a pedido da minha nutricionista e deu que estou com falta de vitamina D,  que é um hormônio esteroide lipossolúvel essencial para o corpo humano e sua ausência pode proporcionar uma série de complicações. Afinal, ela controla 270 genes, inclusive células do sistema cardiovascular. A principal fonte de produção da vitamina se dá por meio da exposição solar, pois os raios ultravioletas do tipo B (UVB) são capazes de ativar a síntese desta substância. Ou seja, minha nutricionista além de ter me passado cápsulas de vitamina D para tomar, disse que tenho que voltar a tomar sol e de preferência 15 minutos todos os dias.

Fazer o que? Vou ter que assumir as manchas no rosto, mas ficar saudável. Advinha qual vai ser meu novo vício? Comprar muita base para cobrir as manchas!

Cuidado com o Conair Curl da Polishop!

Esse é o aparelho Conair Curl da Polishop.

Esse é o aparelho Conair Curl da Polishop.

Quem usa o Conair Curl se apaixonada imediatamente, pois é o único aparelho de fazer cachos que não precisa de muita habilidade, devido o aparelho “puxar” o cabelo e soltar em forma de cacho e o que conquista mesmo é a durabilidade do cacho no cabelo, dura o dia todo sem a necessidade de colocar algum tipo de fixador.

Esses tempos atrás fiz uma viagem para a França com o marido e levei o meu Conair Curl, usei todo santo dia, pois queria parecer Gisele Bunchen pro maridão (coitada! rs), claro que toda vez que usava passava antes um protetor térmico e o resultado, qual foi?

O efeito no cabelo fica lindo, mas não dá para usar todo dia!

O aparelho dá efeito bonito no cabelo, mas não dá para usar todo dia!

DETONOU o meu cabelo! Pontas duplas é elogio, pois eram mistura de Bombril com múltiplas pontas. Fiz muita hidratação, mas não teve jeito tive que cortar o cabelo.

Se a vontade for muita de ter o Conair Curl, pois alguma conhecida sua usa e você ama o efeito no cabelo, use com cautela, vai danificar um pouco, mas nos períodos que não usar faça hidratação para recuperar as pontas. NÃO faça como eu, NÃO use todo dia!!!!

Bjo

Para os descendentes de japonês!

Ontem marquei uma consulta com a nutricionista, pois pretendo dar uma secada na gordura e aumentar a massa magra e conversando sobre a minha saúde, falei que era super alérgica, tinha tudo quanto é ITE: rinite, sinusite e bronquite asmática. Continuamos batendo papo, até que chegou o momento de contar da minha rotina alimentar, contei que não gostava de leite, sentia um pouco de azia quando tomado quente e dos seus derivados usava os sem lactose. Foi então que ela me contou que todos os orientais que ela tinha atendido (não muitos, pois aqui em Goiânia tem pouco japa!) eram o mesmo perfil alérgico e que nós somos na maioria intolerantes a proteína do leite, seria bom evitarmos comer derivados do leite. Ela me sugeriu substituir por receitas com tofu, como amassar o tofu e misturar com um pouco de azeite, sal e orégano (acho que gosto da combinação!), tofu grelhado na frigideira com um fio de azeite e sal e até molho branco de tofu com amêndoas (esse deu água na boca, mas ela ficou de passar a receita na próxima semana quando os meus exames ficarem prontos!).

intolerância a proteína do leite.

Vou tentar evitar o máximo possível comer comidas derivadas do leite (queijo, requeijão, leite condensado e uma infinidade de coisas, rs) , pois sempre sofri com as minhas alergias, mas também sem neura, se for num lugar que só tenha comida com proteína do leite, vou comer!!! 🙂

Bjo